;
[
]

ADESTRADORA DE CÃES

MAR 06, 2018

POR FABIANA SECCHIS

VIVA BEM - PET - PROFISSÕES

Lara é uma adestradora da Cão Cidadão, ela já adestrou o Bolota (meu cachorro) e foi incrível. Hoje ela conta um pouco sobre essa decisão de se tornar adestradora, o porque as pessoas contratam esse serviço, qual o momento certo para procurar essa profissional e conta até um case de sucesso.

VBM: Como você decidiu ser adestradora?
“Eu venho da publicidade e do marketing mas já havia me envolvido com a proteção animal e com o cuidado com os animais quando trabalhava nos escritórios da vida! Numa época de férias, fui fazer um trabalho voluntário na África do Sul com animais nativos e acabei me dando conta de que estava mto mais feliz ali do que no resto do tempo. Quando voltei, não consegui mais engrenar no trabalho e acabei procurando outra forma de ganhar a vida junto com os bichos! Pesquisei bastante para entrar nesse outro mercado e conheci a Cão Cidadão. Iniciei o processo seletivo e de treinamento e após meses aprendendo a profissão, comecei a atender os aluninhos peludos.”

VBM: Qual é o papel fundamental de uma adestradora?
“A cultura do adestramento ainda é pouco fomentada no Brasil. Muitas pessoas tem a ideia de que adestramento é apenas para cães destinados a cumprir alguma função (policial, cão-guia, farejadores etc) mas adestramento também é educação! Um bom adestrador deve ensinar os tutores a entenderem melhor seus cães! O adestramento pode melhorar as interações e a relação animal x humano, pode ajudar os tutores a colocarem limites claros e funcionais aos cães de forma que seja fácil e até prazeroso obedecer, fazendo com que a convivência social seja gostosa para todos! Outro braço do adestramento é a estimulação física e mental que os treinos podem proporcionar aos cães, auxiliando no auto-conhecimento e no desenvolvimento sensorial e cognitivo dos animais!
Além de tudo isso, o adestrador pode ajudar a resolver problemas de comportamento que o animal apresente ao longo de toda a vida!”

VBM: O que as pessoas que contratam esse serviço tem que estar cientes?
“Existem muitos métodos de adestramento. Esse é o primeiro ponto! Pesquisar sobre algumas linhas de treino já vai esclarecer alguns pontos antes de contratar algum profissional. Independente de quem a pessoa escolher para treinar seu cão, o ideal é sempre, sempre, sempre, acompanhar e estar presente nas aulas! Se algum profissional disser que o tutor não pode acompanhar a aula, desconfie! O adestramento deve ensinar o animal mas também deve ensinar o humano a lidar com determinadas situações, afinal, quem convive com o peludo é seu tutor, não o adestrador! O profissional deve ser uma ferramenta facilitadora na relação da família com os animais, portanto, participar dos treinos e aplicar as “lições de casa” fora das aulas é essencial para um resultado efetivo.”

VBM: Conta um caso de sucesso.
É difícil pensar em um único caso! Diariamente lidamos com expectativas de clientes (e as nossas também) e cada mini sucesso vai sendo comemorado!
Desde chegar numa casa com um filhote fazendo xixi em absolutamente todos os lugares e sair de lá algumas aulas depois com tapetes higiênicos devidamente utilizados até casos em que os animais precisam ficar em cômodos separados para não se matarem e com muito cuidado e paciência, conseguirmos juntá-los no mesmo ambiente e posteriormente vê-los brincando juntos! Cada evolução é valorizada!
Hoje mesmo recebi uma mensagem de um cliente dizendo que o cãozinho, que antes fazia tudo de errado que queria na casa e mordia todas pessoas deixando todos com vários hematomas, está respondendo bem aos treinos e já está muito melhor.
A verdade é que o ponto em comum de todos os casos de sucesso é parceria a adestrador x família, dedicação nos treinos e paciência! ?”

VBM: Qual o momento certo para  a pessoa que contratar esse tipo de serviço?
“Existem dois momentos.
O primeiro deles é o mais cedo possível. Cães podem ser treinados a partir dos 59 dias de vida então, quando filhotes chegam do canil ou são adotados (independente da idade), já podem ser ensinados da maneira certa, antes de criarem hábitos errados e de esses hábitos serem muito reforçados pelas pessoas sem que elas percebam que podem fazer as coisas de forma diferente! Resumindo: quanto mais cedo, mais fácil ensinar e menos coisas a corrigir!
O outro momento é quando se trata de algum problema de comportamento já desenvolvido! Muitas vezes as pessoas só percebem algum problema quando ele já está evoluído demais a ponto de causar incômodo! Nesse caso, o ideal é procurar ajuda no momento em que o problema vier à tona! Não fazer nada não vai melhorar a situação e existem grandes chances de piorar muito! Quanto antes chamar ajuda, mais rápido será a evolução e o resultado dos treinos!”

COMPARTILHAR:

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PUBLICIDADE
SIGA O VIVER BEM MELHOR!
s