;
[
]

COMO É TER UM GATO?

JUN 05, 2018

POR FABIANA SECCHIS

VIVA BEM - DESTAQUE - PET

“Ter um gato em casa não é um bicho de sete cabeças, pelo contrário, o manejo e cuidado com eles são simples e fáceis.”

Nossa querida veterinária Nayla Glaser conta para o VBM hoje sobre os gatos e suas características.

 

Você pensa em ter um gatinho em casa? Tem algumas dúvidas de como cuidar?

Calma, hoje vamos te ajudar e esclarecer algumas das dúvidas mais frequentes!

O que preciso saber antes de ter um gatinho?!

1- Ambiente: Os gatinhos não precisam de tanto espaço como os cães, mas isso não significa que não precise se adaptar ao ambiente. Gatos adoram pular e estar em movimento o dia todo, adoram lugares altos para descansar, gostam de vigiar tudo por cima e adoram fazer suas saidinhas durante o dia, então até em casas com muros altos que parece inalcançável, saiba que eles chegam lá sim. Se você for ter um gatinho, verifique que ele consiga voltar de suas saidinhas rotineiras. E você que mora em apartamento, não esqueça de por telas nas janelas e varanda, isso impede de que eles sofram quedas e evita as saidinhas também.

2- Cuidados diários: Diferente dos cães, os gatos não necessitam de banhos e tosas semanais. Na verdade eles mesmo se limpam durante o dia. A língua deles é coberta de pequenas saliências pontudas chamadas de papilas é que dão um aspecto áspero quando passadas na nossa pele, isso serve para promover a limpeza dos pelos.

Os gatinhos costumam comer/beliscar várias vezes ao dia, o ideal é sempre deixar um pote com ração disponível o dia todo, e outro pote com água fresquinha.

Uma outra opção é fonte de água, os gatos adoram coisas em movimento, quando a água da fonte está em movimento, estimulam a beberem mais água, e isso é muito importante para os felinos.

Caixinha de areia é onde os gatinhos são acostumados a fazer suas necessidades. Ao contrário dos cães, os felinos já nascem com o instinto de esconder o seu cheiro para não se tornarem um alvo fácil para os predadores, e isso veio na genética dos felinos domésticos. Por tanto coloque uma caixinha com areia onde seu gatinho tenha fácil e livre acesso. A limpeza pode ser feita todo o dia, retirando as fezes e o xixi.

Os gatos são mais independentes do que os cães, isso quer dizer que sabem se virar melhor quando estão sozinhos, não dependem tanto da presença do dono, mas não significa que eles não gostam de carinho e atenção. Eles adoram um chamego, gostam de dormir juntos com seus donos, adoram uma bolinha de papel e varinhas com barulhinhos, gostam de correr atrás de mosquitinhos, gostam de sentirem como predadores, gostam de serem livres, sem muitas regras.

3- Protocolo vacinal: Assim como os cães, os gatos também devem ser vacinados anualmente, e visitar o médico veterinário com frequência para prevenir diversas doenças que são predispostos.

 

 

Características comum dos gatos:

Os felinos de personalidade independente, tornou-se um animal de companhia em diversos lares ao redor do mundo, para pessoas dos mais variados estilos de vida.

Os gatos são muito silenciosos. Esta é uma herança de seus antepassados que fazem deles caçadores letais. Isto porque suas patas têm uma densa pelagem, abafando os ruídos que elas produzem contra o chão.

Os felinos tem um aspecto bastante curioso, que é um tipo de barulhinho que eles fazem quando estão se sentindo, na maioria das vezes,  seguros, relaxados, amados, quando estão em uma situação confortável que se chama RONRONAR, muitos conhecem como “motorzinho”.

Tudo começa no cérebro do gatinho: um sinal neurológico é enviado repetitivamente para os músculos da laringe do felino, levando-os a se contrair a uma taxa de 25 a 150 vibrações por segundo. Assim, quando o gatinho respira, o ar que passa por suas cordas vocais produz o reconfortante som de ronronar.

Os gatos, geralmente, pesam entre 2,5 e 7 kg; entretanto, algumas raças, podem exceder os 12 kg. Já foram registrados exemplares com peso superior a 20 kg, devido ao excesso de alimentação.

A temperatura normal do corpo desses animais varia entre 38 e 39 °C. O animal é considerado febril quando tem a temperatura superior a 39,5 °C, e hipotérmico quando está abaixo de 37,5 °C.

Cauda:

Os gatos tem comportamentos diferentes com a sua cauda, de acordo com o espécime ou raça. Mesmo assim, de maneira geral, as caudas nos dizem muito sobre como está o “humor” deles.  Quando levantada mostra orgulho e contentamento do gato. Quando estendida e ereta, mostra que está espreitando um ataque. Enrolada diz que o gato está espantado ou aflito. E diferentemente dos cachorros, quando agita a cauda de um lado para o outro, pode demonstrar que o gato está bravo ou nervoso.

Orelha:

Os gatos possuem trinta e dois músculos na orelha, o que lhes permite ter um tipo de audição direcional, movendo cada orelha independentemente da outra.

Visão:

Testes indicam que a visão aguçada dos gatos é largamente superior no período noturno em comparação aos humanos, mas menos eficaz durante o dia.

Quando há muita luminosidade, a pupila em formato de fenda fecha-se o máximo possível, para reduzir a quantidade de luz incidindo sobre a retina.

Os gatos não conseguem ver a menos de 20 cm de distância, por isso levam a boca à comida, confiando no olfato.

Os gatos têm, em média, campo visual com abertura estimada em 200°, contra 180° dos humanos. Como em muitos predadores, os olhos ficam posicionados na parte frontal da cabeça, ampliando a noção de profundidade em detrimento da largura do campo de visão.

Aparentemente, os gatos conseguem diferenciar cores, especialmente à curta distância, mas sem sutileza apreciável, em termos humanos

Paladar:

Gatos não são capazes de saborear o doce, por falta de receptores desse tipo.

Ainda que não reconheçam o gosto doce, esses animais apresentam grande sensibilidade aos sabores ácidos, salgados e amargos, o que os torna animais muito exigentes quanto ao paladar dos alimentos que lhes são oferecidos, podendo recusar a refeição fornecida, caso notem algo de errado em seu sabor

Pelagem:

Os gatos podem ter uma única coloração, completamente brancos ou pretos. Também podem ter duas cores, como o branco e preto (típico gato-vaca), branco e laranja, pardo e branco, ou cinza e branco. Podem possuir um padrão de cores tigrado em laranja, pardo e branco; em tons cinza e alaranjados (gatos romanos), com o pelo de uma só cor em toda a sua extensão ou de dois tipos de cores (as extremidades diferentes do resto do corpo).

Também podem ter um padrão de cor siamês com cores mais escuras na face, rabo, patas e orelhas. Outro tipo de coloração é a tricolor, como, por exemplo, branco, laranja e preto.

As gatas costumam ter os pelos mais lustrosos e brilhantes do que os machos, e elas costumam soltar mais pelos do que os gatos, principalmente nos períodos do início do cio. Os gatos tricolores ou de até quatro cores são normalmente fêmeas; quando são machos, são estéreis.

Expectativa de vida

Em cativeiro, os gatos vivem tipicamente entre 15 e 20 anos, mas o exemplar mais velho já registrado viveu até os 38 anos. Os gatos domésticos têm sua expectativa de vida aumentada quando não têm permissão para vagar pelas ruas, o que reduz o risco de ferimentos ocasionados por brigas e acidentes, bem como quando são castrados, o que também reduz os riscos de incidência de câncer de testículos e ovários.

 

 

Depois de ler nosso artigo, deu para perceber que ter e cuidar de um gatinho é bem fácil e não demanda de muito tempo ou de cuidados específicos não é mesmo?

E em comum com os cães, são dóceis, fofos, carinhosos, amigos, sociáveis, gostam de chamegos e carinhos, e te esperam na porta quando chegam.

E posso te garantir que depois que você adquirir um para a sua vida, DÚVIDO que não irá se apaixonar por eles.

 

Contato Nayla:

Celular: 11 95282-5437

 

COMPARTILHAR:

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PUBLICIDADE
SIGA O VIVER BEM MELHOR!
s