;
[
]

DESFRALDE

NOV 29, 2018

POR FABIANA SECCHIS

VIVA BEM - DESTAQUE - FAMÍLIA E FILHOS

“Por isso, o processo do desfralde é delicado e o ideal é que ele seja feito quando a criança já sabe comunicar o que fez, quando fez.”

Hoje a nossa parceira psicologa infantil Ana Christina contou para gente como reagir a situações comuns no momento do desfralde.

 

“Esses dias estava vendo um clip infantil com meu sobrinho de uma música antiga e a letra me chamou atenção como se fosse a primeira vez que eu estava ouvindo. Entre várias coisas apontadas como legais que o “bom menino” faz e coisas erradas que ele não faz, tinha um trecho que dizia “um bom menino não faz xixi na cama”. Então fiquei pensando “ué, mas alguém faz xixi na cama de propósito para deixar de ser um bom menino?”. Paralelamente, uma amiga me sugeriu escrever sobre as questões que fazem alguém fazer xixi na cama durante a infância.

Pronto, juntando as duas coisas, aqui estou eu, compartilhando um pouco do tema com vocês.

Primeiro ponto que gostaria de colocar é: o controle das necessidades fisiológicas de uma maneira geral é algo a ser aprendido. Ou seja, o natural do organismo não é segurar o xixi para ir ao banheiro e sim liberar a urina a hora que dá vontade mesmo.

Por isso, o processo do desfralde é delicado e o ideal é que ele seja feito quando a criança já sabe comunicar o que fez, quando fez. E a partir daí, é o momento de ensinar a perceber quando está com vontade e como ir ao banheiro.

No processo de desfralde um caminho é levar a criança de tempos em tempos ao banheiro. Quando tiver êxito na missão, parabenizar! Quando não der tempo, jamais brigar, mas sim explicar, quantas vezes forem necessárias, a importância dela perceber antes que precisa ir ao banheiro.

Sendo assim, nessa fase, é até esperado que o xixi na cama aconteça (e no sofá, no meio do shopping, no carro, etc…risos). Porém, chega o momento em que o aprendizado já aconteceu e esses escapes já não são mais esperados…mas podem acontecer, não mais por não ter aprendido, mas por outras questões.

Antes de interpretar o motivo, ou jogar no Google, vale uma pesquisa com a criança: tomou muito líquido antes de ir dormir e não deu uma passadinha no banheiro? (aliás esse é um bom ritual, sempre ir ao banheiro antes de dormir, assim que acordar e antes de sair de casa) Sentiu vontade e sonhou que estava no banheiro? Agora, se nada disso aconteceu e parece que existe uma questão de ansiedade (proximidade de algum evento muito esperado ou situação que pode gerar medo- como uma prova, por exemplo) ou medo (após ter levado uma bronca, ter tido um pesadelo, visto um filme de terror, etc…), vale levar a um especialista para que a criança aprenda outras formas de vivenciar essas situações que fazem parte da vida.

Importante também levar em consideração a frequência com que isso tem acontecido, a reação da criança (se ela percebe que fez, se sente vergonha, se conta o que aconteceu) e comentar com o pediatra e com o psicólogo.

Agora, o que é fundamental: jamais brigar com a criança por conta disso. Tenha certeza que é algo incontrolável, que não é feito de propósito e que qualquer bronca a respeito desse tema só piorará a situação (quando por exemplo, a criança para totalmente de ir ao banheiro, por medo).

Para finalizar, devo dizer que discordo totalmente que o bom menino não faz xixi na cama. Todo mundo já fez um dia, tenho certeza que até o autor da música.”

Até mês que vem!

Ana Christina Almeida

COMPARTILHAR:

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PUBLICIDADE
SIGA O VIVER BEM MELHOR!
s