;
[
]

MELASMA

NOV 16, 2018

POR FABIANA SECCHIS

VIVA BEM - DESTAQUE - SAÚDE

“Certamente você já ouviu falar sobre os temidos Melasmas. Mas, afinal, o que são essas manchas? Vamos entender melhor!”

Hoje o conteúdo é da Dra. Flavia Jorge, médica dermatologista, formada pela Faculdade de Medicina da UNESP. Se formou médica no ano de 2006, e depois de muitas paixões pelas diversas áreas da medicina durante a faculdade, optou por seguir a dermatologia como especialidade.

A partir de hoje teremos alguns conteúdos sobre os cuidados que temos que ter com a nossa pele. E nosso primeiro tema é sobre o Melasma.

Como a gente sempre ouve falar sobre esse tema que amedronta tanto, principalmente as mulheres. Quando ficam grávidas então dizem que piora muito. Mas afinal será que tem como prevenirmos? E para quem já tem tem tratamentos?  Essas perguntas e muito mais

Segundo a Dra. Flávia Jorge:

O que são Melasmas?

Melasmas são manchas escuras que aparecem mais comumente no rosto e que podem variar de intensidade. As mulheres costumam ser mais afetadas, podendo aparecer por conta da exposição solar, mas também durante períodos de alterações hormonais, como a gestação, menopausa e até com o uso de pílulas anticoncepcionais.

De forma simplista, podemos dizer que o Melasma ocorre quando existe uma hiperfunção do melanócito, produzindo, então, mais melanina que o necessário. Esse excesso fica alojado dentro da pele, o que provoca as manchas.

O que causam os Melasmas?

Além dos fatores hormonais e da exposição solar, como citados acima, o fator desencadeante é a exposição à luz ultravioleta e, até mesmo, à luz visível, presente em lâmpadas e telas de computador. Além disso, a predisposição genética também é uma forte influência para a o surgimento dos Melasmas.

Quais os sintomas do Melasma?

É importante deixar claro que os Melasmas não causam dor, ardência ou coceira. Os incômodos são exclusivamente estéticos.

Em geral, o único sintoma é o surgimento de manchas acastanhadas ou marrons na pele. Elas costumam aparecer nas maçãs do rosto, testa, nariz e buço com formato irregular e bem definido.

Quais os tratamentos?

Infelizmente o Melasma não tem cura. Os tratamentos disponíveis preveem um conjunto de medidas para clarear, estabilizar e impedir que o pigmento volte. Mas, atenção! Os cuidados devem ser contínuos, pois se trata de uma condição crônica que tende a piorar se não for tratada adequadamente.

Além disso, o tratamento só pode ser indicado após consulta com o seu Dermatologista. Cada caso requer um tipo de tratamento, levando em consideração todos os fatores inertes ao paciente, como o tipo de pele e análise do Melasma.

Dado o alerta, vamos aos principais tratamentos:

– Proteção solar: Não precisa nem comentar, né?! A barreira química e física dos raios UVA e VB são consideras fundamentais para estabilizar os benefícios obtidos com o conjunto de medidas descritas abaixo;

– Cremes: Os mais usados são à base de hidroquinona, ácido glicólico, ácido retinóico e ácido azeláico. Os resultados costumam aparecer após cerca de 2 meses de uso e não é um método que funciona para todos os pacientes;

– Peelings: Existem diversos tipos, alguns mais superficiais até outros que atingem as camadas mais profundas da pele. Geralmente trazem bons resultados, uma vez que clareiam a pele de forma gradual, rápida e segura;

– Laser: Trata-se de técnica que pode dar resultado para clarear os Melasmas, mas que também precisa de cuidados para não gerar mais pigmentação (o temido rebote, ou piora da mancha). Por isso, é necessário um bom dermatologista que saiba escolher o tratamento mais adequado ao paciente e esteja habituado ao uso de fontes de energia luminosas.

-Microagulhamento e Drug Dlivery: microperfurações na pele, com aplicação de agentes clareadores que terão ação diretamente no local onde está o pigmento. Também deve ser feito por médico experiente, para que se alcance bons resultados.

E tem como prevenir o aparecimento do Melasma?

Muitas vezes não há como impedir o aparecimento do Melasma, já que também tem influência de fatores genéticos – como citamos acima. Mas, alguns cuidados básicos devem ser adotados, como:

– Uso de protetor solar todos os dias, mesmo em clima nublado ou chuvoso e, inclusive, reaplica-lo durante o dia;

– Uso de barreira solar física, como bonés, chapéus, óculos escuros, sombrinhas;

– Mulheres em idade fértil e com predisposição genética podem consultar o seu Ginecologista para discutir sobre a utilização de métodos anticoncepcionais não hormonais;

– Ao perceber uma primeira mancha, consulte o dermatologista o mais rápido possívelpara investigar e definir um tratamento.

Apesar de desagradável, o Melasma pode melhorar muito com o tratamento. Agende a sua consulta e renove a sua pele!

Contatos:

Blog: https://www.flaviajorgedermatologista.com.br/

Insta: @flaviajorgedermato

COMPARTILHAR:

ARTIGOS RELACIONADOS

2 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PUBLICIDADE
SIGA O VIVER BEM MELHOR!
s